Quando a BLITZ foi anunciada como atração principal do “Brazilian Day Tokyo” a primeira coisa que me veio em mente foi que seria um show histórico.

 

O show do dia 3 de setembro tinha tudo para dar errado, chuva, vendaval, mudança do dia de descanso da maioria dos brasileiros, a situação em que o país se encontra entre outras coisas, mas os deuses pareciam querer ouvir a BLITZ.

 

O publico lotava o parque Yoyogi quando a BLITZ entrou no palco, devidamente anunciados por Ana Maria Braga. A partir desse momento o parque Yoyogi ficou pequeno e uníssono, eram os fãs da BLITZ ávidos para “curtir” o show.

 

A BLITZ começou o show com muita energia positiva e sintonia com o publico, a cada música que a banda tocava a onda de energia positiva aumentava.

 

Devido aos últimos acontecimentos – a catástrofe na região nordeste do Japão e a crise econômica mundial – a comunidade brasileira estava pra baixo, precisando de boas vibrações para continuar a luta diária.

 

A BLITZ veio para trazer toda essa energia e ensinar para os mais novos o que é um show de rock.

 

Um show de rock não se trata apenas de música, tem que haver integração, energia positiva, risadas, fazer novas amizades, cantar junto com a banda e outra coisas que só a BLITZ poderia ter ensinado.

 

A energia era tanta que era possível ver pessoas vertendo lágrimas de emoção. Tive o privilégio de estar no espaço que separava a banda do público e vi que a emoção dos dois lados era a mesma e que em alguns momentos todos os presentes pareciam uma só pessoa, uma só emoção.

 

Com certeza esse show ficará na memória dos brasileiros que puderam assistir e conferir a energia positiva da BLITZ.

 

Deixo aqui um pouco dessa energia para os que não puderam assistir o show.

 

Vida longa a BLITZ!